«

»

Jun
08
2011

ENERGIA NUCLEAR: Parte 6: Aspectos positivos e negativos

Para sermos absolutamente correctos é preciso avaliar cuidadosamente cada uma das alternativas disponíveis, examinando todos os custos e os riscos envolvidos em cada fonte de energia, seja um aerogerador, um painel solar ou uma barragem hidroeléctrica. Ou seja, todas as energias renováveis ou não renováveis apresentam impactos positivos e impactos negativos. O mesmo se passa com a energia nuclear. A escolha de qualquer fonte de energia causa sempre polémica. No caso da energia nuclear, esta controvérsia é ainda mais acentuada. Se por um lado, esta escolha energética conta com alguns defensores, por outro lado também conta com muitos opositores. Os defensores desta energia consideram-na uma energia barata, pois pode durar anos sem necessidade de troca da fonte, limpa pois não emite na atmosfera nenhum poluente e segura pois os seus riscos podem ser prevenidos. Alem disso, é tecnologicamente uma energia já desenvolvida. Por outro lado, os seus críticos desejam bani-la, sendo os seus principais argumentos os danos causados à saúde humana e à natureza em caso de acidente ou do seu uso indevido, como para a fabricação de bombas atómicas, como já foram vistos exemplos na nossa história recente. Outro argumento usado pelos seus opositores é a dificuldade de se lidar com o chamado lixo nuclear, que fica em actividade por milhares de anos.





Quando se fala nos impactos que esta, ou outra energia, possa causar, não se pode limitar-se a descrever as suas vantagens e desvantagens. Este, é um tema muito amplo, em que devem ser consideradas questões de ordem social, económica e mesmo implicações no próprio Homem. Entre várias, algumas vantagens bastante claras mostram-se prioritárias a favor da energia nuclear. Uma delas é o facto de não produzir a emissão de gases que contribuem para o aumento do efeito de estufa, chuvas ácidas, poluição e prejuízos à camada do ozono. Não há também a emissão de metais prejudiciais à saúde, como o arsénio, o mercúrio, o chumbo ou o cádmio.

Outra vantagem bastante real é a produção de uma grande quantidade de energia num espaço físico relativamente pequeno, que é ocupado por uma central nuclear, se comparado, por exemplo, ao espaço necessário para a implantação duma central hidroeléctrica. Para além disso, o facto de o combustível utilizado nas centrais nucleares ser barato e abundante torna-se noutra vantagem. Para se ter uma ideia uma determinada quantidade de urânio é capaz de libertar uma quantidade de energia 3 milhões de vezes superior à energia libertada pela mesma quantidade de carvão, tornando assim a energia nuclear a fonte mais concentrada de produção de energia. Ao contrário de outras energias renováveis (como por exemplo a energia solar, eólica, etc), a energia nuclear não depende da sazonalidade climática, ou seja, é independente dos factores climatéricos naturais, como por exemplo as chuvas, os ventos e as radiações solares, sendo uma energia de produção contínua. Vários cientistas defendem a energia nuclear de forma bem expressiva, apontando ainda mais vantagens quanto à utilização desta, nomeadamente, quanto aos seus lixos nucleares. Segundo Lovelock (2005:48), “Quando se queima combustível nuclear num reactor, produzem-se desperdícios radioactivos, que têm que ser tratados em segurança. A armazenagem e a eliminação desses desperdícios não têm de ser complicadas. A grande vantagem da energia nuclear é justamente o facto de produzir tão pouco lixo (…). Todo o lixo altamente radioactivo produzido no Reino Unido ao longo de 50 anos de operações nucleares civis não ocuparia mais do que um cubo de 10 metros de lado – aproximadamente o tamanho de uma casa pequena”.

Além disso, este material não pode ser verdadeiramente considerado como “lixo”, porque apenas foram gastos 3% do seu potencial gerador de energia. Se for reprocessado, pode voltar a ser utilizado como combustível. Acrescentando a este vasto leque de vantagens pode-se ainda referir que o risco do transporte do combustível usado em centrais nucleares é significativamente menor quando comparado ao gás e ao óleo das termoeléctricas e, alem disso, a energia produzida nas centrais nucleares não necessita de armazenamento da energia produzida em baterias.

Mas não basta enumerar as suas vantagens para conhecer a energia nuclear. Como qualquer outra, esta também apresenta desvantagens que devem ser consideradas e analisadas não isoladamente mas, em conjunto com os seus aspectos positivos. A desvantagem mais apontada nesta energia, tem sido o facto da necessidade de armazenar o resíduo nuclear em locais isolados e protegidos e o facto de existir um risco de acidente numa central nuclear, levando a um acontecimento catastrófico. Para além dessas, existem outras, que apesar de menor importância não devem ser ignoradas e até mesmo estudadas para minorar os seus impactos. São elas:

  • Trata-se da fonte de maior custo em questão de construção, devido aos sistemas de emergência, de contenção, de resíduos radioactivos e de armazenamento desses, estruturas necessárias numa central nuclear;
  • A necessidade de isolar a central nuclear após o seu encerramento, uma vez que, estas estruturas possuem um tempo médio de vida de 30 a 50 anos;
  • Quando os resíduos produzidos emitem radioactividade, e não se encontram bem armazenados acabam por interferir com os ecossistemas que os rodeiam;
  • Necessita de uma grande quantidade de água para o funcionamento da central, sendo necessários localizarem-se perto de fontes abundantes em água;

 

Os impactos desta energia também se fazem sentir na economia. A AIE defende abertamente as vantagens da opção nuclear. As fontes abundantes de urânio e a menor dependência de combustíveis fosseis tornam, segundo os seus analistas, a energia nuclear uma solução atractiva para resolver os actuais problemas de fornecimento energético a nível Mundial. A AIE, nas suas perspectivas energéticas mundiais de 2006, explica que “a economia evoluiu em favor da energia nuclear, que oferece vantagens consideráveis na emissão de gás de efeito de estufa e em termos de segurança energética”. Na apresentação do documento, Claude Mandil, o director executivo da agência, sublinhou: “não vejo como poderemos evitar o nuclear se queremos ter um futuro sustentável a longo prazo. Globalmente consideramos que nuclear tem de fazer parte do mix energético”. Em geral, o custo da energia produzida pelas centrais nucleares fica em torno de 4 dólares por MW, que embora seja mais cara que a energia das hidroeléctricas, é mais barata que a energia das termoeléctricas, centrais solares, eólicas, etc.

Quanto aos impactos na vida do próprio Homem, a energia nuclear é utilizada em diversos ramos trazendo benefícios. No entanto, e visto trataram-se nomeadamente das sua aplicações na vida quotidiana, este assunto será abordado no capítulo seguinte, no qual se fará um resumo das mais importantes aplicações da energia nuclear.

O grande motivo que leva à não-aceitação da energia nuclear enquanto fonte energética prende-se com os acidentes que ocorreram no passado, que se revelarem acontecimentos catastróficos a curto e médio prazo. No entanto, há que referir que estes acidentes ocorreram não por consequência directa da energia nuclear, mas sim por erros humanos e má utilização desta enquanto fonte de energia, questão a que será dada maior relevância seguidamente.

 

Veja também:

ENERGIA NUCLEAR – Parte 1: O que é?

ENERGIA NUCLEAR – Parte 2: Como se processa?

ENERGIA NUCLEAR – Parte 3: Centrais Nucleares

ENERGIA NUCLEAR: Parte 4: O ciclo do combustível nuclear

ENERGIA NUCLEAR: Parte 5: Reactores Nucleares

 

Incoming search terms:

  • energia nuclear pontos positivos e negativos
  • pontos positivos da energia nuclear
  • pontos positivos e negativos da energia nuclear
  • pontos negativos da energia nuclear
  • aspectos positivos da energia nuclear
  • aspectos positivos e negativos da energia nuclear
  • energia nuclear aspectos positivos e negativos
  • energia nuclear pontos positivos
  • aspectos negativos da energia nuclear
  • energia nuclear pontos negativos

Permanent link to this article: http://www.duploclique.net/energia-nuclear-parte-6-aspectos-positivos-e-negativos-da-energia-nuclear/

5 comments on “ENERGIA NUCLEAR: Parte 6: Aspectos positivos e negativos

  1. Quantas vidas a energia nuclear já salvou?
    A medicina precisa para seus aparelhos , e a tecnologia é dominada.
    Os mecanismos de segrança são eficazes e os computadores fazem varredura no processo , e qualquer desvio da programação são detectados.

  2. aff esse trem e incabulante ne fala serio esse trosso so aumenta popularidade em trabalho de muleque,mas se bem q e ate interessante isso ai sobre energia nuclear gostei e olha a eim ;)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>